Eric Johnson Blues Cube Tone Capsule

“Passei anos procurando amplificadores que atendessem minha busca por timbres e obedecessem os critérios para conseguir meu som pessoal. Estou animado em trabalhar com a Roland para criar diversos aspectos e personalidades deste som em uma versão mais compacta, tangível e acessível para todos os tipos de músicos.” — Eric Johnson.

Guitarrista ganhador do Grammy, Eric Johnson e os produtores dos amplificadores Blues Cube fizeram a coprodução do Eric Johnson Blues Cube Tone Capsule. Os especialistas de projetos de áudio do Eric produziram textura, vozes e um timbre rico, proporcionando ao Blues Cube uma vivacidade surpreendente dos sons característicos do Eric. O toque pessoal do Eric pode ser percebido e ouvido em diversas nuances do amp quando o EJ Tone Capsule está ativado. O Tone Capsule Eric Johnson consegue o som clássico tradicional do amp Blues Cube atuando como novidade e tradição.

Eric Johnson

Primeiras Impressões

Não é segredo que o estilo de tocar e o timbre da guitarra do Eric Johnson são icônicos. Também é bem conhecido o ouvido para detalhes e perfeição do Eric. Desejando o mesmo alto nível dos sons tradicionais, o time do Blues Cube decidiu discutir o amp com o Eric. “Estou muito interessado em trilhar novos caminhos para obtenção de um timbre,” explica Eric, “e quando o time do Blues Cube perguntou se eles poderiam me apresentar um amp com novas possibilidades tonais, fiquei intrigado.” O time de engenheiros do Blues Cube visitou Eric Johnson no seu estúdio em Austin, Texas, e a jornada do EJ Tone Capsule começou. Eric ativou um dos seus amps combo vintage para comparação. Ele tocava um pouco e percebia as similaridades na textura e também de volume (o Blues Cube Artist com 80 watts de potência ajustável). Eric perguntou se o amplificador poderia ser modificado para seu timbre específico. “Sim,” respondeu um dos engenheiros, “podemos ajustar o amp de acordo com suas especificações.” O primeiro encontro terminou com uma nota bastante positiva e Eric recebeu o time Blues Cube novamente em Austin posteriormente.

O Amp

O que é o amplificador Blues Cube que o Eric ouviu neste dia? A série Blues Cube reinventada, lançando o clássico combo 1x12 para uma nova era, combinando som e resposta valvulada com a facilidade e portabilidade dos tempos modernos. Avançando muito além da modelagem, a filosofia do projeto Tube Logic da Roland começou com a reprodução cuidadosa do processamento inerente do reverenciado amplificador valvulado da era tweed em todos os sentidos, da entrada da guitarra até a saída do alto-falante. Versátil, permite que os canais crunch sejam usados ao mesmo tempo que os canais clean, de forma independente ou combinados para um gama complexa de timbres, enquanto a potência variável de saída permite que você ative um som completo a qualquer volume. Testado ao vivo e perfeitamente afinado com opiniões de diversos grandes músicos, o Blues Cube produz o som doce e mágico e a satisfação que torna este grande amplificador de guitarra em um instrumento musical extremamente expressivo.

Encontros entre Técnicos e Engenheiros

Algumas semanas depois, o time do Blues Cube voltou para Austin com mais alguns amps para serem testados por Eric. E desta vez Eric havia convidado Bill Webb, técnico de guitarra e amplificadores para se juntar ao grupo. Bill conserva e modifica os amplificadores do Eric, assegurando que o timbre do som do Eric esteja sempre pronto para palco ou estúdio. Bill é o técnico principal, com décadas de experiência inigualável. “Eric tem um timbre muito pessoal,” explica Webb, “e meu trabalho é assegurar que o equipamento funcione da forma exata dentro de suas especificações.” O time conectou ao amp Blues Cube uma das Stratocasters do Eric. Já na primeira nota que o Eric tocou, Bill pareceu chocado. Ele ficou impressionado com a resposta de amplificador valvulado produzida pelo amp. Ele também ficou maluco com o design leve. Bill perguntou se ele poderia fazer algumas mudanças para aproximar o timbre específico do Eric. Enquanto o Eric tocava, Bill e os engenheiros do Blues Cube começaram os ajustes. Cada modificação aumentava o olhar curioso de Webb. “Realmente está funcionando. Eu posso ouvir que o timbre está começando a soar como o do Eric.” Eric também comentou que a tocabilidade estava se movendo na direção certa. Havia uma excitação geral na sala e todos podiam sentir. Após fazer alterações significativas nas características dos circuitos, o time parou e conversou a respeito. Eric explicou que seu timbre é bastante específico e que ter o timbre do Blues Cube com seu ajuste personalizado disponível separadamente era uma idéia interessante. “Muitos guitarristas podem preferir o som de fábrica do Blues Cube em vez do meu,” explicou Eric, “o timbre de fábrica é indicado para diversos tipos de instrumentistas.” Eric e Bill concordaram que eles queriam continuar a trabalhar no projeto.

EJ Tone Capsule

Tone Capsule

O plano estava definido. Os amplificadores Blues Cube seriam fornecidos com um timbre tradicional de som valvulado suave, pronto para usar. O timbre personalizado por Eric para o Blues Cube, entretanto, seria disponibilizado em um novo e atraente produto chamado: Tone Capsule Eric Johnson. O Tone Capsule é uma unidade com um circuito de modificação que muda as características do circuito de válvula do Blues Cube original, que é preso abaixo do chassi do amp. Após a conexão, o circuito de modificação do Tone Capsule altera os ajustes do amp, fornecendo os timbres e respostas personalizados. O Tube Logic amplifica fisicamente o circuito analógico discreto, com características produzidas por circuitos DSP. A qualidade básica do som do Blues Cube é construída fisicamente sobre um pré amplificador e um amplificador de potência. O circuito analógico discreto e o circuito DSP trabalhando juntos, produzem um timbre usando vias bastante avançadas.

Bill Webb

O time do Blues Cube se reuniu novamente em sua sede de R&D (pesquisa e desenvolvimento). Passaram algumas semanas fazendo testes de timbres na preparação do estágio final do projeto de áudio. Os engenheiros do Blues Cube entenderam que a fase final do projeto seria crítica, a expectativa do timbre do Eric era muito alta, sem margens para erros. De volta a Austin, Bill Webb trabalhou incansavelmente preparando cabeçotes Plexi dos anos 60 e combos Fender, deixando o equipamento pronto para testes de áudio e comparações. Cada cabeçote de amp precisava ser verificado e reverificado.

Marshall Tubes

O time do Blues Cube foi novamente para Austin para completar o projeto do EJ Tone Capsule. Conectando com cuidado um osciloscópio nos amps do Eric, o time tinha uma visão clara das formas de onda, detectando propriedades como amplitude, frequência, tempo de subida, intervalos de tempo, distorção e outros fatores. Eric comentou, “Nós estamos verificando alguns dos meus antigos amplificadores e tentando infundir o resultado no Blues Cube, e está funcionando muito bem. É surpreendente. Acho que a resposta é mais como um amplificador valvulado, que um amplificador solid state.” Bill e os engenheiros do Blues Cube continuaram com a discussão das respostas das guitarras. Bill queria saber como o Blues Cube era capaz de reagir como os amps do Eric. O engenheiro explicou, “O Blues Cube cria uma queda real de potência em cada circuito e componente, reduzindo a voltagem da potência fornecida e faz a intermodulação da frequência da potência fornecida, condição similar à grade de voltagem de potência e da voltagem da válvula da pré amplificação.” Foi uma profunda troca de conhecimentos a respeito das modificações do Blues Cube.

Bill Webb

Bill e os engenheiros fizeram alterações significativas no Tone Capsule com o Eric testando pessoalmente cada estágio do desenvolvimento do timbre. Usando as Stratos tradicionais, Eric passou dias ouvindo, tocando e ajustando seus timbres com Bill e os engenheiros do Blues Cube soldando conexões e girando botões. A intensidade de ataque foi ajustada com cuidado, a potência de entrada dos capacitares foi analisada, e a queda do fornecimento de energia produzido especialmente para fornecer o salto de reverberação, a dinâmica e crescimento elástico dos amp vintage em toda sua alta complexidade—um amp inspirado por Eric Johnson.

Valvulados Vintage

Existem dois canais no Blues Cube: CLEAN e CRUNCH. Eric foi capaz de fazer ajustes lindos de sons clean, inspirados no tradicional Deluxe Reverbs. Com faixa dinâmica exata, os timbres claros e puros do Blues Cube são uma homenagem a muitas músicas eternas de Blues e Jazz. Ao ser pressionado mais forte, o canal CLEAN entra em uma dinâmica suave. Eric comentou, “Fiquei muito entusiasmado ao descobrir que o timbre clean, se você aumentar, também possui um bom timbre de ritmo sujo.” No canal CRUNCH, o som clássico do amp de 100 watts ’69 Super Lead do Eric inspirou timbres de solo incríveis, com harmônicos espetaculares para Blues, Rock e outros estilos. Em um dos Plexis Super Lead do Eric, a entrada do inversor de fase tinha dois capacitores com um potenciômetro de volume principal colocado entre eles—um dos diversos detalhes fundamentais, que foram cuidadosamente considerados nas vias de sinal para este canal.

Eric Johnson

Os ajustes de TONE e REVERB foram especialmente projetados para permitir o calor e a expressividade que são amplamente reconhecidos no som do Eric. Em ambos os canais, você percebe diversas características do EQ brilhante encontrado nos seus timbres. Eric continua, “Eu gosto do reverb do Blues Cube. É realmente puro e prazeroso ao tocar e eu tenho uma afinidade especialmente, considerando que alguns dos meus reverbs favoritos são antigos reverbs de mola dos anos 60. O reverb do Blues Cube tem um som bastante analógico. Acho que é uma coisa boa se for um reverb que apenas encorpa o som e não chama atenção para ele mesmo, apenas melhorando o som acusticamente, e é exatamente isto que o reverb do Blues Cube consegue.”

Esteja você usando os efeitos diretamente através da saída ou usando os efeitos em loop, o Blues Cube faz com que o som crie vida. Eric explica, “Este amplificador tem efeitos muito bons. Se você experimentar meu Tube Driver ou Fuzz Face através do amp, ou qualquer outro efeito particular, ele soa muito bem acentuando o efeito, o que eu acho importante.”



Passado Vintage encontra o Futuro Inovador

Eric refletiu sobre as sessões de áudio quando estavam terminando, “Estou um pouco chocado com a natureza solid state do Blues Cube. Este é provavelmente o melhor som solid state de guitarra que eu já encontrei. O céu é o limite. Me parece que o potencial é excelente.” O resultado desta incrível jornada é, nas palavras do Eric, “apenas o começo”. E continua, “A forma como as pessoas produzem o timbre não mudou muito ao longo dos anos. Com o Blues Cube, temos uma forma de produzir timbres com um método muito diferente, resultando em possibilidades incríveis. Estou ansioso para explorar estes novos caminhos.”